Notícias

voltar para a home
14 | Fevereiro

IBD

publicado em 14/02/2017

Startup brasileira consolida-se no mercado nacional e internacional de extração sustentável da alga Lithothamnium

Utilizados como fertilizante orgânico na agricultura e alimentação de todas as espécies animais, os produtos da Oceana apresentam comprovados benefícios e aumento de rentabilidade para o produtor do campo



São Paulo, 02 de fevereiro de 2016 - A Oceana Brasil, startup 100% brasileira, é uma das principais e mais bem estruturadas empresas de extração sustentável e beneficiamento da alga marinha Lithothamnium no mundo. Com atuação nos mercados interno e externo, seus produtos são exportados para diversos países da Europa, América Central, EUA e Ásia e sua produção anual é de 40 mil toneladas. A atividade industrial da Oceana é ecologicamente correta, não causa impacto ao meio ambiente e preserva as características únicas de sua jazida. A empresa emprega recursos de alta tecnologia e não utiliza nenhum composto químico em todo o ciclo produtivo, que é livre de qualquer contato humano.
 
Localizada na Plataforma Continental do Maranhão, na altura da cidade de Tutoia, a jazida de concessão da Oceana Brasil apresenta ambiente perfeito e único no mundo. Por situar-se em uma região de correntes marítimas e incidência solar excepcionais, as algas recebem maior luminosidade (maior fotossíntese), corrente marítima e salinidade. Essas características formam algas mais puras, reativas e com mais nutrientes. Com 11 mil metros quadrados de área, a capacidade de produção anual de Lithothamnium é de 150 mil toneladas, podendo ser expandida conforme a demanda do mercado.
 
Os produtos da Oceana trazem o selo IBD Certificações, o que garantem sua qualidade nos mercados interno e externos - Mercado Comum Europeu e USA. Possui ainda, todas as licenças ambientais e de operações do IBAMA, SEMA/Maranhão, ICM-BIO e BPF/MAPA. Todo processo produtivo da empresa está em conformidade com os princípios estabelecidos por órgãos reguladores nacionais e internacionais, como Anvisa brasileira, FDA estadunidense e EMA europeia, entre outros órgãos regionais e internacionais. 
 
Atualmente, o GMP Plus está sendo implementado. Auditorias Federais como MAPA e DNPM são constantes nas operações de extração e garantem a procedência dos produtos obtidos de maneira sustentável. Cada lote de produto extraído também é submetido a análises, em média uma vez por mês, para validar sua eficácia.
 
A Oceana, via parceiros estratégicos, mantém estreita colaboração com instituições de pesquisas na Europa, entre elas a Wageningen University e a Agro Research International, referências mundiais em pesquisa. No Brasil, a empresa trabalha com a Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (ESALQ), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Universidade Federal de Goiás (UFG), entre outras, para certificação da eficácia de seus produtos.
 
Em 2016, a Oceana Brasil firmou acordo de cooperação e distribuição com a holandesa Jadis Additiva, uma das maiores empresas distribuidoras de ingredientes da Europa. “O objetivo dessa parceria é fortalecer as vendas em países daquela região e desenvolver novos produtos. A perspectiva é de que essa união resulte em negócios na ordem de cinco milhões de euros em três anos”, afirma Daniel Frasson, presidente da Oceana.
 
Para manter o equilíbrio ambiental da região da jazida e garantir a qualidade de seus produtos, a Oceana trabalha e investe em pesquisas e tecnologia de ponta e no controle e monitoramento da vida biológica. Extrai a alga já calcificada e sedimentada em uma plataforma continental separada da parte da jazida que contem algas vivas, mantendo assim, o equilíbrio ambiental.
A Oceana também atua junto à comunidade com os mesmos objetivos, investindo em programas de educação, treinamento, capacitação e benefícios socioambientais. Tem ainda como propósito contribuir para o desenvolvimento econômico sustentável de Tutoia e seu entorno, realizando ações para alcançar esse objetivo.
 
Produtos
 
Nutrição Vegetal - A linha Algen, material com origem 100% biológica, destina-se à nutrição vegetal e fertilização do solo. É composta por produtos em pó, granulado e líquido, visando facilitar sua aplicação. Usados como fertilizante orgânico na agricultura, apresentam comprovados benefícios. Rico em Cálcio, Magnésio e aminoácidos, fornece nutrientes de imediata disponibilidade, melhorando rapidamente as condições físicas e químicas do solo, potencializando a absorção de NPK e aumentando o enraizamento e a produtividade.
 
Nutrição Animal - A linha Lithonutri, é indicada para alimentação de todas as espécies animais e também apresenta inúmeros benefícios. No gado de corte e leite, permite melhor digestão das fibras, equilíbrio do pH ruminal, aumento dos teores de sódio no leite e propicia o ganho de peso, entre outros. Nas aves de postura, benefícios como aumento na produção de ovos e melhor espessura da casca estão entre os benefícios de sua utilização. Nos equinos, há redução das lesões e articulações, além de rápida reposição de cálcio em animais de lida e competições.
 
 
Sobre o Lithothamnium
 
Alga marinha calcária, conhecida há mais de 200 anos, o Lithothamnium vem sendo explorado nos últimos 30 anos por países da Europa e Ásia, para oferecer nutrição animal, vegetal e humana. Produto nobre, possui alta reatividade e é rico em mais de 40 nutrientes minerais e orgânicos,  altamente solúveis e naturalmente equilibrados pelo meio ambiente.
 
De acordo com comprovadas análises de importantes instituições de pesquisa, são capazes de aumentar a produtividade agrícola em até 50%. Os procedimentos industriais adotados pela Oceana Brasil preservam intactas todas as propriedades físicas, nutricionais, orgânicas e biológicas da Algae Lithothamnium.
 

Eventos


21 | Junho

Evento

Hortitec 2017
mais eventos

Clientes Certificados

  • [escolha um país]
  • buscar

Insumos Aprovados

  • buscar
Endereço: Rua Amando de Barros, 2275 - Centro - CEP: 18.602.150 – Botucatu - SP

(14) 3811-9800

© Copyright - A publicação ou uso dos textos e imagens contidas nesse site só serão permitidas com a autorização devida do IBD